O Primado do Espírito

primado_psicografia

Os futurólogos previram com segurança o desenvolvimento científico e tecnológico da humanidade, e hoje pode ser constatado o acerto de muitas dessas conjecturas otimistas, que facultam comodidades ao ser humano como dantes jamais foram imaginadas…

Inventos engenhosos e artefatos fantásticos de expressiva complexidade geraram conforto material e contribuíram eficazmente para o bem-estar das criaturas terrestres.

Avanços significativos alteraram profundamente a geografia planetária, erguendo cidades fabulosas e construindo veículos especiais capazes de desenvolver velocidades supersônicas, assim diminuindo as distâncias físicas, enquanto a comunicação virtual facilitou o intercâmbio sob muitos aspectos entre os indivíduos.

Enfermidades dilaceradoras que dizimavam periodicamente a sociedade, foram debeladas, enquanto a técnica de diagnóstico vem identificando inúmeras patologias que permaneciam ignoradas, tornando-se passíveis de terapias curativas.

Pântanos ameaçadores, charcos pestilento e desertos áridos transformaram-se em jardins e pomares, enquanto os rebanhos de animais domésticos multiplicaram-se, saudáveis, a benefício das comunidades humanas.

As sombras que campeavam soberanas, cederam lugar a variada iluminação, o frio terrível pode ser aquecido e o calor asfixiante amenizado graças à contribuição de aparelhos especiais, que favorecem o equilíbrio térmico em benefício da saúde e da produção ampliada nas indústrias e em toda parte.

Sem qualquer dúvida, valiosíssima contribuição da cultura e dos engenhos, da arte e do pensamento, tornaram este século como sendo o da beleza, do conhecimento, da comodidade e do lazer.

Multiplicam-se os esportes e as recreações, alcançando os graves patamares de radicais, e, para milhões de indivíduos, o mundo é uma festa intérmina, um imenso palco para exibição de tudo, incluindo as mais diversas, nem sempre felizes, expressões do gozo.

Lamentavelmente, porém, a ilusão do poder e do desfrutar não solucionou os estarrecedores fenômenos psicológicos, socioeconômicos e morais que assolam, arrebanhando incontável número de vítimas que estorcegam nos grilhões do sofrimento.

A drogadição e os transtornos de conduta, o sexo desvairado e as ambições desmedidas, o alcoolismo, o tabagismo e os crimes hediondos apresentam estatísticas elevadas que surpreendem os estudiosos do comportamento na atualidade febricitante na alucinação que toma conta do mundo.

A agropecuária, baseada nas conquistas científicas e os produtos manufaturados na área da alimentação, não têm conseguido atender a fome das centenas de milhões de miseráveis que contemplam, esquálidos, o desperdício dos poderosos indiferentes, dominados pelo câncer do egoísmo que também os devora.

Os acordos internacionais não diminuíram as lutas étnicas entre os povos de sua própria nação, enquanto a ameaça de alguma guerra de extermínio geral paira sobre a humanidade, qual espada de Dâmocles prestes a desferir o golpe, sustentada apenas por delicado fio…

A economia programada de maneira a tornar mais poderosos aqueles que já são arbitrariamente ricos, sofre contínuos golpes na oscilação constante das bolsas, em decorrência dos fenômenos que têm lugar nos diferentes países poderosos, cujas balanças estão quase sempre em desequilíbrio.

Esse comportamento econômico deixa os povos em aflição, gerando desconforto e morte…

A negligência e as ambições desmedidas de autoridades e de nações têm contribuído para o aquecimento gradual do planeta, que sofre ameaças terríveis de destruição da sua fauna e flora, por fim, do próprio ser humano, seu devastador.

Tudo isso e muito mais, porque as conquistas morais não alcançaram os níveis equivalentes daqueles de ordem material.

A decadência das religiões opressoras do passado e a volúpia dos novos grupos do Evangelho produziram mais pessoas indiferentes e niilistas, do que realmente fiéis, aturdidas na sua maioria pela conquista do reino da Terra em detrimento das paisagens dos Céus…

A miséria e a ignorância geraram a violência doméstica, escolar e urbana com elevados índices de criminalidade.

O vazio existencial defluente da perda dos objetivos psicológicos, das tradições e dos valores da família, abriu espaço para os complexos distúrbios emocionais enquanto o medo assenhoreia-se dos diversos segmentos da sociedade.

 Na grandeza exterior encontra-se, também, a lamentável desarticulação dos tesouros ético-morais com prejuízos incalculáveis para a hodierna civilização…

Concomitantemente, porém, anunciam-se novos tempos de amor e de paz, de fraternidade e de renovação humana.

Do quase caos de natureza moral, surgem as florações da esperança em outros valores que não apenas esses que produzem sensações e devaneios, gozos exaustivos e frustrações doentias.

O Espiritismo, dando cumprimento à promessa de Jesus, a respeito de o Consolador, chega, neste momento de graves tribulações, oferecendo o tesouro da fé lógica e racional, restabelecendo as diretrizes enobrecedoras do conhecimento em torno da imortalidade do Espírito, propiciando alegrias não imaginadas anteriormente…

Exausto da ilusão transformada no pesadelo dos sofrimentos, o ser humano desperta aos clarins da verdade para o saudável comportamento baseado nos compromissos de respeito à vida em todas as suas expressões.

Sem desconsideração pelas gloriosas conquistas logradas, antes, delas utilizando-se, o Espiritismo favorece as mentes e as emoções com a realidade da vida, apresentando nova ética, que é a mesma ensinada e vivida por Jesus e pelos Seus apóstolos, exarada no amor e na construção do bem de todas as maneiras possíveis, capaz de alterar para melhor a situação de extrema angústia que paira na humanidade.

Ao som harmonioso do sermão das bem-aventuranças, implanta-se na Terra, suavemente, a proposta da abnegação e do dever de amar, entre todos os indivíduos que, iluminados pela revelação dos Espíritos, transformam-se em vexilários do bem, abrindo espaços para a felicidade de todos, sem distinção de raça ou etnia, de cor ou de religião, de partido político, todos, porém, irmanados pelo sentimento do bem.

 Vianna de Carvalho

(“O Primado do Espírito” – página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na reunião mediúnica da noite de 20 de julho de 2011, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s