Tu és Rei dos Judeus?

Jesus é o mais notável ser da história da humanidade. Embora milhões de livros já tenham sido escritos sobre sua vida, poucos dados chegaram até a atualidade. Citado apenas por Flávio Josefo, historiador do povo hebreu no século I e pelo famoso historiador Romano no século II, Tácito, sua vida mudou a história da humanidade que se dividiu antes e depois Dele.

Nunca tendo escrito nada, o que conhecemos sobre o mesmo foram as narrações dos evangelistas, escritos quase um século depois de sua morte, cuja versão experimentou rude alterações, passando do Hebraico rude para o grego e depois para o latim, causando várias obscuridades e imperfeições nos textos que ficaram conhecidos como itálicos, cabendo ao papa Dâmaso a tarefa de solicitar a ação de S. Jerônimo que empreendesse a grade tarefa de revisão do novo testamento e do saltério, o que ocorreu em Roma em 383. Ainda assim, o texto final conhecido hoje passou por várias mudanças em diversos concílios e durante o largo período dos Imperadores Romanos. Contudo, conquanto tenha sido alterado diversas vezes, a lição do Mestre que chegou até nós é a maior de todas as regras de conduta existente até hoje. Há mais de dois mil anos os seus ensinamentos têm sido o roteiro de bilhões de pessoas que consideram que Ele pôs a humildade na categoria das virtudes que aproximam de Deus a criatura, e o orgulho entre os vícios que Dele o afastam. E lemos em João XVIII; 33-37:

Tornou Pilatos a entrar no pretório chamou Jesus e perguntou-lhe: És tu o rei dos judeus? Respondeu Jesus: Vem de ti mesmo esta pergunta, ou te disseram outros a meu respeito? Replicou Pilatos: Porventura sou judeu? A tua própria gente e os principais sacerdotes é que te entregaram a mim. Que fizeste? Respondeu Jesus: O meu reino não e deste mundo. Se o meu reino fosse desse mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui. Então lhe disse Pilatos: Logo tu és rei? Respondeu Jesus: Tu dizes que sou rei. eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz”.

A veneranda Joanna de Angelis, através da psicografia de Divaldo Pereira Franco, no livro “Jesus e o Evangelho, a luz da psicologia profunda”, ensina:

A psicologia profunda, metodológica e analítica, vê Jesus, o homem, como triunfador, tirando dele o que a ingenuidade cultural dos primeiros tempos, havia lhe atribuído, como sendo Deus, seu filho unigênito, para situá-lo no nobre lugar de conquistador, que enfrentou todos os desafios e os venceu com afabilidade e energia, na sua realeza moral, porque viera para lançar o hífen de luz entre as sombras do mundo e as esferas de incomparável claridade. E ele respondeu a pilatos: O meu reino não é deste mundo. Pondo-o ao alcance de todos aqueles que o desejem alcançar, havendo nascido na Terra para dar o seu testemunho.”
Por Ubirajara Emanuel Tavares de Melo (texto publicado no ‘Jornal do Commercio’ de 24 de abril de 2011)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s