O verdadeiro casamento

O Casamento geralmente é vivido de forma equivocada e puramente materialista dentro de uma ótica do que ele deveria realmente vir a ser, uma realidade mais ampla, profunda e evolutiva. Procurarei transmitir em algumas palavras, impressões do que tenho aprendido durante minha comunhão sagrada do caminho espiritual na minha vivência no casamento, e o que isto tem significado no aprendizado do dia-a-dia.

Trago amorosamente aos que aqui chegaram estas minhas impressões, que tem como objetivo orientar os que gostariam de melhorar seus relacionamentos elevando-os a uma esfera espiritual e evolutiva e que traga um novo sentido para suas vidas conjugais.

A união conjugal tem como objetivo, tanto a polaridade masculina como feminina, trabalhar entre si o desenvolvimento da união do casal com sua alma e transcenderem entre si suas inferioridades. Ou seja, cada um deve ajudar o outro a casar com sua própria alma.

O que torna a união conjugal verdadeira são metas elevadas como a construção e a busca de uma vida consagrada ao que é imaterial, ao que é Divino.

O que torna um relacionamento limitado, efêmero e polarizado somente no modo da paixão e ignorância é a busca de “construir” uma “segurança” através de uma vida puramente material.

O ritual religioso do casamento não muda em nada o que já está programado no interior de cada um dos cônjuges. É efêmero e por que não dizer dispensável o ato religioso, vez que, nada material nesse sentido altera o espiritual. O amor é o ritual divino, digo assim, porque vejo a maioria das pessoas temerosas de que se não casar na igreja, não tem a bênção de Deus. Será?

Será que Deus anula o amor que existe entre duas criaturas só pelo fato de não concordarem com a obrigatoriedade do casamento religioso? Casar civilmente se torna uma necessidade perante a lei material, já que ambos tem a responsabilidade da administração dos bens da terra conseguidos a grandes esforços para a sobrevivência física.

Deus planejou o casamento para os seres humanos, e seu propósito divino não é simplesmente a procriação. Ela é apenas um dos aspectos. A finalidade espiritual do casamento é capacitar a alma a revelar-se a si mesma e a buscar o outro permanentemente para descobrir sempre novas perspectivas do outro ser. Quanto mais isso acontecer, mais feliz será o casamento, mais firmes e seguras serão suas raízes e menos estará exposto ao perigo de um final desastrado. Desse modo, ele cumprirá sua razão de ser espiritual. A situação que vemos na nossa sociedade nos dias de hoje são fatos que prova mais que as palavras a inutilidade do ritual religioso. Me arrisco a dizer que 80% dos casais que receberam a bênção dentro de sua religião, após dois anos no máximo, hoje estão separados, sabe por quê, porque foram para igreja unidos pela carne e não pelo espírito.

Temos grande respeito pelas festividades e celebrações, no entanto o que está em questão é: se não casar na igreja estão casado ou não? Eu digo que sim, se há amor entre os dois; digo que não, se não há amor.

Por Cezar Mário
Casa Espírita Raios de Luz – Salgueiro/PE
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s