Arquivo mensal: outubro 2020

Difícil esse tal Espiritismo

Não se transforma uma sociedade conservando os valores que lhe alicerçam.

Eis um exemplo de como ver a “teoria” do enunciado acima, na prática.

A classe médica não corresponde a 20% da força de trabalho (e os próprios não se consideram “força de trabalho”… 😅).

Mas desde o começo da Pandemia (e antes dela também), é praticamente a única categoria que é ouvida e ou consultada pela mídia para falar do enfrentamento da doença e, se um médico morre, é notícia nacional.

Mas quantos enfermeiros, auxiliares, técnicos, fisioterapeutas já foram consultados, ouvidos ou tiveram a morte noticiada com grande pesar?

Um exemplo: faço parte de um grupo de ZAP de pessoas simpáticas a nossa religião. Nesse grupo tem familiares de duas pessoas com Covid19 e que estão hospitalizados.

Uma é muito querida por todos. Frequentador dos encontros. Pessoa de grande simplicidade e de coração enorme. Falou-se aqui e acolá sobre seu estado de saúde. Não muita coisa.

Aí surge a notícia de que um médico conhecido na cidade está com Covid19 e está também hospitalizado. E depois dessa notícia, o grupo há duas semanas não fala de outra coisa. Tem até corrente de oração com hora marcada… Para o médico.

Só que nunca (pelo menos que eu saiba), fez ele parte do grupo, nem se tem se sabe se tem simpatia pela religião.

O primeiro – gente simples e do bem – segue se recuperando, apesar de ter sido esquecido. E o médico também está se recuperando, só que com atualização diária sobre seu estado de saúde.

Não se transforma uma sociedade conservando os valores que lhe alicerçam.