Arquivo da categoria: Uncategorized

Perseverança da fé

Judas 1: 17-25

  1. Vós, entretanto, amados, lembrai-vos das palavras anteriormente proferidas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo,
  2. os quais vos alertavam: “Nos últimos tempos, haverá zombadores que seguirão as suas próprias e ímpias vontades”.
  3. Estes são os que provocam divisões entre vós, os quais são dominados pelas paixões de suas próprias almas e não têm o Espírito.
  4. Vós, porém, amados, edificai-vos na santíssima fé que tendes, orando no Espírito Santo.
  5. Conservai-vos no amor de Deus, aguardando confiantemente a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. 22. E demonstrai compaixão para com alguns que não possuem essa certeza,
  6. assim como salvai a outros, arrebatando-os do fogo; e a outros, ainda, ajudai com misericórdia e temor, repugnando até a roupa contaminada pela carne.
  7. Àquele que é poderoso para vos impedir de cair e para vos apresentar sem máculas e com grande júbilo, perante a sua glória, 2l
  8. ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todas as eras, agora e para todo o sempre! Amém.
    “`

Pandemia e Ciência

Os riscos de uma pandemia são muitos. Um deles é termos na direção dos governos gente que não adquiriu ao longo da vida o hábito da reflexão e do estudo sério e metódico.

A ciência errando ainda é melhor que o acerto aleatório baseado no senso comum e na credulidade.

Porque quem toma decisões com base no acerto aleatório só registra o acerto. A ciência registra quando se erra e quando se acerta e aí se pode alcançar alguma análise razoável.

Por isso que aparece um líder mundial que não acredita em ciência mandando fabricar um remédio não testado para distribuir nos hospitais só porque funcionou com uma dezena de pacientes.

Aí vem o cientista para salvar a situação e dizer que: “Não é bem assim; não é assim que funciona a coisa; não sabemos se funciona mesmo. Não há dados suficientes para definir a segurança e a eficácia do tratamento.”

Pois é…

Sabemos quantos pacientes tomaram o milagroso remédio e ao invés de melhorar pioraram o quadro? Sabe-se quais eram as condições dos pacientes observados? Quais remédios de uso contínuo eles usavam? Quais os riscos e os efeitos colaterais dos medicamentos em teste?

Ciência é coisa muito chata. Só fica perguntando as coisas…

Ciência: ruim com ela, pior sem ela.