Natal sem Jesus

“Estamos perto do Natal: haverá luzes, festas, árvores iluminadas, presépios… mas é uma farsa. O mundo continua a fazer as guerras. Não escolheu o caminho da paz”, lamentou o Francisco, na homilia da missa matinal.

Impossível não concordar com o Santo Padre.

Jesus nasceu em algum dia, em algum lugar, filho de família humilde, foi humilde. Foi também pacifista, fraterno com todos, duro com os hipócritas, caridoso com os simples e ignorantes.

Se a gente quiser, ele pode nascer todos os dias, em cada coração, quando resolvermos estender as mãos para auxiliar e socorrer ao invés de atacar.

Jesus morreu, mas provou que a morte só existe para os apegados às coisas do mundo material. E Jesus morre todos os dias quando, por egoísmo, por indiferença, por arrogância ou ignorância, escolhemos não viver como ele nos exemplificou.

Viver em fraternidade.

Anúncios

A paz é o único e verdadeiro caminho

A violência é o atalho que de tempos em tempos se apresenta às populações desprevenidas diante dos graves problemas sociais como o desemprego, a violência urbana e o desalento com as instituições.

Cabem aos que conseguem filtrar esse sentimento a responsável missão de desintoxicar os corações para que possam acessar a razão e perceber que somente pela educação dos sentimentos e da cultura da paz será possível concretizar a sociedade fraterna e solidária que todos almejamos.

Mahatma Gandhi com precisão e sabedoria, um dos melhores intérpretes da mensagem do Cristo, disse: só acreditarei que a violência é solução para a violência, se ficar provado que há alguma escuridão que seja capaz iluminar a escuridão.

Neste dia em que o Brasil celebra o feriado de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, pedimos a este espírito de luz que ilumine o Brasil e as consciências dos brasileiros para que possamos nos esquivar dos perigos atuais e futuros e de trilhar pela senda da escuridão.

O filósofo que provou a existência da alma

Gottfried Willhelm Leibniz (1646-1716) foi um pensador alemão que se debruçou sobre diversas áreas: matemática, física, lógica, filosofia, direito, música… Diz-se que ele sabia sobre tudo o que se podia saber no seu tempo e ainda mais.

Apesar de não ser tão conhecido quanto outros sábios da mesma época, a exemplo de Isaac Newton (1643-1727), as suas descobertas não são menos importantes. Leibniz e Newton teriam, inclusive, desenvolvido independentemente, ao mesmo tempo, o cálculo diferencial e o cálculo integral, ambas expressões criadas por Leibniz em trabalho publicado antes daquele de Newton.

Dentre os muitos temas metafísicos estudados por Leibniz estão: como o corpo físico humano é “animado” e as supostas coincidências gritantes que acontecem em nossas vidas, clamando a nossa atenção para a existência de algo maior.

Um dos conceitos desenvolvidos por ele e que influenciou diversos pensadores foi o de sincronicidade, estudado por Carl Jung, que o cita algumas vezes em “Sincronicidade: um princípio de conexões acausais”.

Continua… (link)

Fonte: https://www.cartacapital.com.br/blogs/vanguardas-do-conhecimento/o-grande-filosofo-que-provou-a-existencia-da-alma